top of page
Buscar
  • Foto do escritorJorge Carvalho

O que é fratura por estresse?



Uma lesão bastante comum em atletas e pessoas comuns que são bastante ativas são as fraturas por estresse. Esse tipo de lesão é causado por conta de sobrecarga óssea e pode prejudicar bastante a qualidade de vida, já que impossibilita a realização de atividades físicas e dificulta outras atividades comuns do dia a dia. 


As fraturas por estresse podem acontecer em qualquer tipo de pessoa e por isso é importante ficar de olho para prevenir da maneira certa. Para entender mais sobre essa condição, conversamos com o fisioterapeuta Pedro Henrique de Medeiros, da Clinic Advance, que nos ajudou a montar esse artigo. 


O que é uma fratura por estresse? 

“A fratura por estresse acontece por conta de repetição de movimentos. Por isso, esse problema é bastante comum, por exemplo, em pessoas ou atletas que se preparam para uma maratona, já que a preparação e a prova demandam treinos de longo período e de esforço excessivo”, explica Pedro. 


Para entender melhor: toda atividade física causa impacto ósseo. Esse impacto gera microfissuras ósseas, que durante o período de repouso, são reabsorvidas e fazem o tecido ósseo ficar mais resistente. Por isso, é tão indicado um tempo de repouso entre treinos. 


Porém, quando realizamos treinos em excessos, fazendo os mesmos movimentos e impactando as mesmas articulações sem o cuidado devido, esse impacto ósseo é maior e há a formação de uma fratura por estresse. 


“Esse tipo de fratura se caracteriza como uma pequena fratura, como uma rachadinha no osso. E acontece geralmente por esforço repetitivo ou por conta de algum impacto muito grande”, complementa Pedro. 

Quais atividades mais favorecem o surgimento da fratura por estresse?

Diversos tipos de atividades físicas podem favorecer o surgimento de fraturas por estresse. Separamos alguns deles abaixo, confira:

  • Corrida 

  • Triathlon

  • Nado sincronizado

  • Ballet

  • Ginástica

  • Remo 

  • Luta 

  • Futebol 

  • Basquete

  • Vôlei 

  • Tênis 


Também é importante entender que as fraturas por estresse podem acometer diversas articulações, tudo depende das articulações mais impactadas por cada atividade. 


Quais as principais causas e sintomas da fratura por estresse?

“As principais causas são atividades físicas prolongadas, por algum impacto forte na articulação, como uma batida forte em uma superfície rígida ou na aterrissagem de um salto, por exemplo. Normalmente, as fraturas por estresse atingem os membros inferiores, principalmente as articulações de joelho e tornozelo”, explica Pedro. 


No geral, as principais causas da fratura por estresse são:


Carga de treino inadequada

Tanto atletas como pessoas comuns podem sofrer fraturas por estresse por conta de carga de treino inadequada. É preciso respeitar o tempo de descanso no nosso corpo para obtermos a melhor performance. 


Quando há um treino excessivo, o praticante da atividade gera uma grande fadiga e aumenta o impacto ósseo. Isso gera a fratura. Por isso, é importante realizar treinos com acompanhamento profissional para que o seu corpo seja preparado da forma correta. 


Isso vai te permitir estar preparado para correr uma maratona ou fazer uma prova de triathlon, por exemplo. 


Excesso de peso 

O excesso de peso também pode ser uma das causas de fratura por estresse. Pessoas acima do peso que começam a fazer atividades físicas como caminhadas ou corrida sem orientação profissional, por exemplo, estão propensas a sofrer com fraturas. 


Desequilíbrio muscular e postural  

Outro motivo comum é o desequilíbrio muscular e postural. Isso acontece devido à falta de força ou má postura durante a prática da atividade física. Isso gera uma sobrecarga óssea maior, e por consequência, causa a fratura por estresse. 


Desalinhamento articular 

O desalinhamento articular é outro motivo para fratura por estresse. Problemas como o joelho em X, joelho de cowboy, pisada muito pronada ou supinada, por exemplo, favorecem a sobrecarga nas articulações e isso aumenta o impacto ósseo durante atividades físicas, acarretando em fraturas. 


Em relação aos sintomas, os principais são dores absurdas no local da fratura, inchaço, limitação de movimentos, o que causa um grande prejuízo para o bem-estar e a qualidade de vida. 


Quais ossos mais sofrem com fraturas por estresse? 

Já falamos aqui que as fraturas por estresse são mais comuns em articulações de membros inferiores. Fizemos uma lista abaixo com os ossos e articulações que mais sofrem fraturas por estresse, confira:

  • Tíbia 

  • Fíbula 

  • 5° metatarso 

  • Patela 

  • Maléolo medial 

  • Colo do Fêmur 

  • Talus 

  • Escápula 


Como a fisioterapia ajuda a tratar e prevenir fraturas por estresse? 

“Fazemos todas as condutas da fisioterapia como eletroterapia, liberação miofascial e trabalho de alongamento e fortalecimento para melhorar a condição da pessoa”, explica Pedro. 


O tratamento com a fisioterapia é muito importante para acelerar a recuperação do paciente e seu retorno pleno às atividades físicas. Vale também ressaltar que a fisioterapia também ajuda a prevenir esse tipo de fratura por potencializar a resistência física e promover equilíbrio muscular e postural. 


“Também é importante trabalhar o alinhamento postural para que o paciente esteja com o corpo alinhado, sem sobrecargas e com maior resistência física. Isso é importante para que o paciente possa prevenir o surgimento de novas fraturas na região em que houve a primeira”, complementa. 


Quer fazer uma sessão de fisioterapia para se recuperar de uma fratura? Faça uma avaliação com um de nossos profissionais. Agende sua consulta agora! 



10 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page